2013

Compartilhe nas redes sociais:

- Permanece aberta todo o tempo e assim o fluxo de pessoas é intenso. O porteiro acaba pegando muita amizade com os moradores e visitantes. Qualquer pessoa que entrar no prédio tem plena visualização do interior da guarita. O porteiro passa a falar pessoalmente com as pessoas, e vai deixando aos poucos de usar o interfone. O porteiro, nosso homem de segurança, não deve pegar intimidade com moradores e visitantes, pois assim, não terá autoridade para fazer cumprir as regras e normas pré estabelecidas em Assembléia.

- Permanece fechada, mas não trancada. Qualquer pessoa pode entrar a qualquer momento. Moradores e visitantes mais freqüentes sabem que a porta da guarita permanece sempre aberta e desta forma, não deixarão de abri-la, quando desejarem falar com o porteiro. Assim, deixa-se de lado, mais uma vez o uso do interfone, que é peca fundamental no esquema de segurança

- Contem uma pequena janelinha para o porteiro se comunicar pessoalmente com as pessoas. Esse vão, aberto constantemente expõe o profissional da portaria, em perigo. A comunicação e recebimento de mercadorias passam a ser feitas por esse pequeno espaço.

- Localizada lateralmente, no acesso de pedestre, Oferece total visão as pessoas que estão do lado de fora. Com isso ficará fácil saber da movimentação e dos horários de troca de turnos.

- Frágeis e de péssima qualidade, dando a impressão que qualquer tranco poderá derrubá-la

- Fechaduras não funcionam ou não possuem resistência a impacto

- Envidraçadas: permitem a visão do interior da guarita e com facilidade extrema de abertura. Não opõe nenhum tipo de resistência. Podem ser bonitas, mas extremamente inseguras.

 

Fonte: Jorge Lordello